Palermice de Bacalhau

Junho 26, 2008

Questão: Autoridade.

Filed under: Portugal — douradodossantos @ 9:59 pm

                                        

Ontem, dois juízes foram agredidos em tribunal após condenarem os arguidos a penas de prisão.  Desde já peço desculpa pela liberdade de chamar tribunal a uma sala dos bombeiros voluntários.

Há algumas semanas atrás, um grupo de jovens invadiu uma esquadra da polícia e agrediram um cidadão que se encontrava a fazer queixa.

Há 3 semanas atrás um grupo de camionistas, patrões de si próprios, paralisaram o país e atacaram quem quis trabalhar. Antes, um grupo de pescadores destruíram o peixe de peixeiras e impediram a venda de peixe importado.

Entretanto, terá existido uma espécie de arrastão, parte II, onde os jornalistas se mostraram mais preocupados em saber se a polícia tinha agredido alguém.

E todos os dias nas escolas existem casos de violência contra alunos ou professores.

Os cidadãos sentem-se inseguros na rua, no tribunal, na esquadra ou na escola. Sentem que os seus direitos não são defendidos nas estradas ou nas praças. E o busílis da questão é só um: Autoridade.

Um estado que permite que as suas esquadras sejam atacadas, que os seus juízes sejam agredidos, que as manifestações desrespeitem todos os direitos e mais alguns, que grupos de jovens decidam varrem praias de ponta a ponta, é um estado que perdeu a autoridade. Hoje em dia perdeu-se o respeito e o receio pelas instituições. Os criminosos acreditam que podem fazer o que melhor lhes aprouver. E o país encolhe-se com receio. Num país normal existiria já um coro de protestos contra a agressão de dois juízes pelos arguidos. Porque a autoridade judicial é um dos poderes do país. Porque um juiz é tão importante como um deputado. Porque a nossa assembleia não se reúne em salas de festas e espaços públicos, logo como é possível permitir que os tribunais estejam a cair, e que os julgamentos tenha que ser efectuados praticamente na rua?

Os cidadãos têm receio porque vêm o próprio Estado a ser agredido e a não fazer nada. Porque constatam que se o criminoso pode atacar um polícia, como poderão eles estar seguros?

A autoridade do Estado começa aqui, no garantir o respeito, a ordem e segurança das suas instituições e da lei. Não é andar pela rua às bastonadas. Não é abusar dos direitos. Não é disparar primeiro e perguntar depois. É simplesmente no garantir que não estamos num país de impunidade.

Post script: Na mesma linha, veja aqui a opinião de Ferreira Fernandes hoje no DN. Não podia estar mais de acordo.

Anúncios

Deixe um Comentário »

Ainda sem comentários.

RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: